STJ DECIDE QUE ROL DE PROCEDIMENTOS DA ANS É TAXATIVO

A data de 08 de junho de 2022 foi decisiva para operadoras e consumidores de planos de saúde no Brasil. Nesta data, a 2ª Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu, por 6 votos a 3, manter, via de regra, o caráter taxativo do rol de coberturas obrigatórias dos planos de saúde, ou seja, não contém apenas exemplos de procedimentos que devem ser cobertos pelas operadoras, mas sim a lista de procedimentos que obrigatoriamente devem ser realizados pelas operadoras.

O QUE ISSO QUER DIZER?

Isso significa que, com essa decisão, as operadoras de planos de saúde estarão obrigadas a fornecer apenas os procedimentos listados no rol, que é definido e atualizado periodicamente pela ANS. Tratamentos e procedimentos não previstos nesta lista, podem ser negados pelas operadoras.

SEGURANÇA JURÍDICA

A decisão do STJ tem o objetivo de uniformizar os entendimentos da própria corte a respeito do tema. De um lado, a jurisprudência da 3ª turma é no sentido de que, mesmo que o procedimento não esteja previsto no rol da ANS, não significa que não possa ser exigido pelo usuário, reproduzindo entendimento aplicado na súmula do TJSP nº 102, que determina que, havendo expressa indicação médica, é abusiva a negativa de cobertura de custeio de tratamento sob o argumento da sua natureza experimental ou por não estar previsto no rol de procedimentos da ANS. Por outro lado, o entendimento formado na jurisprudência da 4ª Turma é no sentido de que os planos de saúde não são obrigados a custear procedimentos que estão fora do rol da ANS.

A decisão confirma o entendimento formado pela jurisprudência da 4ª Turma.

SEGURANÇA PARA O CONSUMIDOR

De acordo com o voto do ministro Luis Felipe Salomão, a taxatividade do rol da ANS é fundamental para o adequado funcionamento do sistema de saúde suplementar, garantindo proteção, inclusive, para os beneficiários – os quais poderiam ser prejudicados caso os planos tivessem de arcar indiscriminadamente com ordens judiciais para a cobertura de procedimentos não incluídos no rol[1].

A condenação das operadoras, de forma indiscriminada, à cobertura de procedimentos não previsto no rol, poderia dificultar o acesso de muitos consumidores aos planos de saúde, e prejudicar àqueles que já têm acesso, uma vez que o custo desses procedimentos seria refletido no aumento considerável das mensalidades dos planos ofertados, ou até mesmo na inviabilidade das atividades das operadoras de planos privados em função da imprevisibilidade gerada pela sujeição à uma lista aberta de procedimentos, colocando em risco todo o sistema de saúde suplementar do país. Esse é o entendimento da maioria dos ministros.

O QUE MUDA?

A decisão apenas reafirma e consolida o entendimento de que o rol é taxativo, ou seja, que apenas os procedimentos e tratamentos lá previstos são de cobertura obrigatória pelas operadoras de planos de saúde.

O entendimento determina que a lista de procedimentos, embora taxativa, não pode ser absoluta. Há situações excepcionais, em que o Judiciário pode impor o custeio de tratamentos, desde que comprovada a necessidade através de indicação médica, a ineficiência da agência reguladora ou eventuais abusos, arbitrariedades e ilegalidades no setor.


[1] STJ decide que rol da ANS é taxativo, com exceções

 

Dr. Leandro Lourenço
Advogado especialista em Direito Processual Civil
OAB/SP Nº409198

ANS autoriza reajuste máximo de 15,5% em planos de saúde individuais
A Agência Nacional de Saúde (ANS) definiu, no dia 26 de maio, o reajuste para planos de saúde individuais e familiares, quepoderão sofrer alta de até 15,5% neste ano de 2022, o maior reajuste já aprovado de toda a série histórica da agência.

Cada operadora têm a liberdade para aplicar reajustes menores do que este índice de acordo com seus próprios critérios, o que não pode é aplicar um índice maior.

O reajuste será aplicado aos planos de saúde com sua data de aniversário do contrato no período de maio de 2022 a abril de 2023.

Em 2021, foi aprovado um reajuste negativo de -8,19% nos planos de saúde individuais em razão da queda provocada pela pandemia no uso de serviços médicos, com adiamento de procedimentos como cirurgias e exames.

Sabemos que toda alta de preços pressiona ainda mais o alto custo de vida das famílias e gostaríamos que não houvesse reajuste, ou que índice fosse menor. No entanto, a ANS julgou necessário o reajuste de 15,5% devido à inflação nos insumos e serviços médicos, ao forte aumento dos custos das operadoras devido ao agravamento da pandemia em 2021 e à retomada dos procedimentos que ficaram estancados no primeiro ano da pandemia.

 Embora nenhum reajuste seja bom, se fizermos o cálculo levando em consideração o reajuste negativo do último período, vamos chegar a uma conta de reajuste de 6% para dois anos, ou seja, uma média de 3% ao ano. Veja o exemplo abaixo:
Um plano em que uma família pagava, em 2020 R$ 1000,00

R$ 1000,00 – 8,19% = R$ 918,10 (2021)

R$ 918,10 + 15,5% = R$ 1060,40 (2022)

Portanto, muita calma nessa hora, além dos usuários de planos pessoa física terem se beneficiado por terem pago um valor menor por 12 meses, o índice médio de reajuste está bem menor do que a inflação. Por isso, muitos acreditam que, mesmo o reajuste sendo alto, não vale a pena você buscar opções de planos coletivos.

 No entanto, vale uma avaliação. Caso um dos membros da família possua um CNPJ, mesmo que seja um MEI, ou se for um profissional liberal, vale a pena conferir as opções e os preços disponíveis. Embora o reajuste do plano pessoa física tenha um controle maior da ANS, nos planos coletivos e nos empresariais você já entra pagando menos e tem a acesso a opções que não existem nos contratos pessoa física.

Por isso, fale com a Long Life. Podemos ajudar você e sua empresa a se proteger e economizar.

Como escolher o melhor plano de saúde para você e a sua família

Está pensando em contratar um novo plano de saúde para você e a sua família e não sabe por onde começar? Saiba que essa situação é mais comum do que você pensa.

Hoje, o mercado conta com inúmeras opções e é perfeitamente normal se sentir perdido na hora de escolher um plano de saúde. Afinal, são centenas de coberturas e benefícios, sem falar, é claro, das grandes diferenças de preço existentes entre os planos disponíveis.

Porém a boa notícia é que podemos te ajudar nessa tarefa. Continue lendo e faça a escolha certa.

Os benefícios de ter um plano de saúde

Entre os benefícios de contratar um plano de saúde para a sua família, podemos citar:

Formas de contratação

Na hora de contratar um plano de saúde, saiba que ele pode ser contratado das seguintes formas.

Individual ou familiar

Qualquer pessoa física pode aderir. Possui prazo de carência. É um contrato feito diretamente com a operadora de plano de saúde, mas intermediado pela sua corretora de seguros.

Coletivo por adesão

Exige vínculo com associação profissional ou sindicato. A cobrança pode ser feita pela própria associação, sindicato ou por uma administradora de benefícios, mas os atendimentos médicos, continuam sendo de responsabilidade da seguradora ou operadora de planos de saúde.

Coletivo empresarial

É para quem tem vínculo com a empresa, ela pode ser de pequeno, médio ou grande porte. O vínculo pode ser empregatício, societário, de estágio, de prestação de serviços ou estatutário. Este modelo oferece um custo x benefício melhor e pode ser contratado desde apenas uma vida ou até para milhares de vidas, dependendo das regras de cada seguradora ou operadora.

Plano Corporativo

Não é um tipo de plano, mas é uma opção à sua escolha na hora da contratação: Neste tipo de contrato, o beneficiário paga uma mensalidade menor, mas pagará uma taxa extra em cada utilização. Esta taxa pode ser cobrada em forma de percentual do valor dos serviços utilzados ou valores fixos por tipo de serviço médico utilizado. Algumas operadoras costumam ter tetos de cobrança mensal para que o beneficiário tenha mais tranquilidade, sabendo que seus custos não ultrapassarão aquele teto. Este valores são cobrados junto com a mensalidade, mas são discriminados em um relatório à parte.

O que você deve observar antes de contratar o plano de saúde

1. Pesquise se o plano de saúde e a operadora que fornece esse serviço são confiáveis

Essa é uma dica de ouro! Na hora da contratação, vale a pena conferir as principais informações da operadora em que você está pretendendo contratar seu plano.

Verifique o número de registro da empresa e do plano em “Informações e Avaliações de Operadoras”, no site da ANS. Lá, você pode ainda conhecer o desempenho dessa operadora no programa de Qualificação da ANS e qual posição ela ocupa no ranking das empresas que mais recebem reclamações de seus consumidores.

2. Confira o que o plano de saúde é obrigado a cobrir

O plano de saúde não é obrigado a cobrir todos os atendimentos que você ou sua família deseja. O mínimo que precisa ser oferecido é estabelecido pela ANS conforme o tipo de plano (ambulatorial, hospitalar com ou sem obstetrícia, referência ou odontológico).

Para saber o que está incluído nesse mínimo estabelecido pela ANS, basta conferir a cobertura mínima obrigatória no site da agência. Essas informações são passadas pelo corretor de seguros e também estarão presentes na proposta e contrato que você irá assinar ao aderir ao plano

3. Saiba como funciona o atendimento de urgência e emergência

Uma das grandes vantagens de possuir um plano de saúde é poder contar com serviços médicos na hora em que os acidentes acontecem.

Por isso, saiba que o atendimento de urgência e emergência varia de acordo com o tipo de plano escolhido.

Tabela – Plano de saúde para a sua família
Tipo de plano Urgência Emergência
Ambulatorial Atendimento limitado às primeiras doze horas em ambulatório Atendimento limitado às primeiras 12 horas em ambulatório
Hospitalar Acidentes pessoais: atendimento integral

Carência cumprida (máximo de 180 dias): atendimento integral.

Carência a cumprir: limitado às primeiras doze horas, em ambulatório

Odontológico Cobertura completa após 24 horas do início da vigência de seu contrato Cobertura completa após 24 horas do início da vigência de seu contrato

4. Saiba o que influencia no preço do plano de saúde

Os serviços que o planos de saúdes oferecem influenciam em seu preço.

Assim, de nada adianta contratar para a sua família um plano de saúde que seja barato, mas que não ofereça tudo que ela precisa.

Outro fator que influencia no preço do plano é a idade: quanto maior for a idade da pessoa, a tendência é que ela utilize mais serviços de saúde – razão pela qual o plano de saúde fica mais caro.

5. Entenda como é feito o reajuste das mensalidades do plano de saúde

Os planos de saúde só podem ser reajustados em duas situações:

O reajuste por faixa etária se aplica tanto aos contratos de pessoa física como aos contratos de pessoa jurídica. Eles ocorrem a partir dos 19 anos de idade, e são aplicados a cada 4 aniversários, sendo que o último reajuste ocorre no aniversário de 59 anos. A partir dessa idade, não há mais reajuste por faixa etária, terá apenas os rejustes anuais pela inflação.

É importante observar esse detalhe: as operadoras têm a liberdade de definir como farão os reajustes dentro do seu contrato, desde que o valor da última faixa etária não exceda seis vezes o valor da primeira.

Já o reajuste anual pode ocorrer de diversas maneiras:

Embora os reajustes para pessoa física ou familiar tenham uma proteção maior pela ANS, vale ressaltar que os valores de entrada são consideravelmente maiores do que os empresariais, e as opções de aquisição são mais limitadas.

Assim, se você possui um CNPJ, a contratação dessa modalidade é mais vantajosa, mesmo porque, se a operadora exagerar no reajuste, você pode exercer o seu poder de consumidor, ou seja, mudar de operadora ou seguradora.

6. Analise se a área de cobertura do plano atende às necessidades da sua família

Existem planos de saúde que prometem uma grande estrutura, mas quando se precisa dela, é necessário se deslocar para outra cidade, e isso pode trazer muitos problemas, já que nem sempre é possível realizar consultas e exames em outro lugar. Por isso, é bom ficar de olho nesse detalhe.

Em contrapartida, um plano com maior abrangência te dará mais opções para você poder escolher os melhores prestadores.

No entanto, se não for possível a contratação de um plano abrangente, um plano regional também fornecerá atendimento para todos os procedimentos constantes no Rol da ANS.

A abrangência territorial mais adequada também depende do seu estilo de vida. Não faz sentido ter um plano de saúde com cobertura nacional se você e sua família não costumam viajar.
O mais importante é não deixar de ter um contrato de plano de saúde que atenda as necessidades de sua família.

7. Veja se é possível usar a telemedicina

Durante a pandemia, os cuidados com a saúde se tornaram possíveis e frequentes com o uso da telemedicina e, diante da urgência, o Conselho Federal de Medicina (CFM) regulamentou a prática e recomendou que a ANS coibisse qualquer medida que pudesse restringir o acesso dos beneficiários ao atendimento à distância.

Assim, antes de assinar seu contrato de plano de saúde, verifique a existência de ferramentas próprias para interação remota entre médico e paciente.

Conte com a ajuda de quem entende do assunto na hora de contratar um plano de saúde

É muito importante ficar atento aos detalhes para escolher o melhor plano de saúde para a sua família.

Por isso, é imprescindível ter um corretor qualificado e honesto ao seu lado. Certifique-se de que o corretor que está te atendendo tenha escritório em endereço fixo, equipe de pós-venda para lhe auxiliar e obtenha referências dele.

De preferência, vá pessoalmente até o escritório, afinal, o relacionamento com o corretor será de longo prazo, pois ele pode te auxiliar sempre que você precisar de apoio referente ao produto contratado.

Se você não faz ideia de onde encontrar esse profissional, entre em contato com a Long Life, vamos te ajudar nesse processo com um time de especialistas preparados para identificar a melhor opção de plano de saúde para você e sua família.

Converse com um especialista da Long Life!

Planejamento financeiro familiar: 5 dicas para começar a se organizar

Se, por conta do orçamento apertado, realizar os sonhos da sua família parece algo distante, saiba que com um bom planejamento financeiro e muita disciplina, é possível sim satisfazer todos os desejos.

Por onde começar? Relaxa, neste conteúdo vamos te mostrar 5 dicas para gerar economia. Confira!

Por que o planejamento financeiro familiar é importante

Uma esperada viagem de férias com a família, uma reforma na casa, uma temporada de estudos no exterior ou uma aposentadoria tranquila. Esses são alguns sonhos de muitas famílias, porém poucas conseguem realizar.

Isso acontece porque a maioria das famílias brasileiras ainda não faz um eficiente planejamento financeiro, ou seja, não tem qualquer controle sobre o orçamento doméstico e não poupa o suficiente para enfrentar, com segurança, os imprevistos que vierem a surgir.

Assim, se você pretende garantir um futuro tranquilo e feliz para a sua família, é hora de começar um planejamento financeiro e adquirir novos hábitos para trazer mais economia no dia a dia.

5 dicas para economizar e fazer um planejamento financeiro

Confira agora 5 dicas para economia e fazer um bom planejamento financeiro.

1. Anote tudo o que você gasta no dia a dia

Por mais que pareça uma tarefa simples, acontece de deixarmos passar um gasto ou outro que temos no dia a dia. Por isso, anote tudo que você e sua família gastam diariamente.

E isso vale para qualquer tipo de gasto, dos mais simples e corriqueiros aos mais extraordinários.

Para anotar e controlar os gastos, você pode anotar seus gastos em uma planilha, ou em aplicativos de educação financeiras, já existe app onde você insere o valor que pode gastar naquele mês e você vai inserindo suas despesas, quando chega em um determinado valor, que você define, o app envia um alerta para que você fique mais atento aos gastos.

Quando você faz o exercicio de anotar tudo que entra e sai da sua conta bancária você tende a ser mais cauteloso e isso vai ajudar no planejamento de como utilizar o seu dinheiro nos próximos meses, pois vai ter consciência dos gastos e assim economizar para montar a sua reserva de emergência e, até mesmo, criar um portfólio de investimento.

2. Planeje as grandes compras

Comprar parcelado pode até parecer uma ótima alternativa, porém, não caia na tentação de comprar em parcelas ao invés de economizar para comprar à vista. Esse é um pensamento perigoso que pode fazer com que você contraia grandes dívidas.

Grandes compras, como a de um eletrodoméstico, devem ser planejadas, exceto se precisarem ser realizadas com urgência. Afinal, não dá para adiar a compra, por exemplo, de uma geladeira nova se a sua acabou de pifar.

Faça uma lista do que realmente deseja comprar e pesquise com calma os preços no comércio local e pela Internet em sites como Buscapé, Google Shopping, Zoom, entre outros. Com os preços em mãos, dá para se ter uma estimativa do quanto economizar para comprar esses itens à vista. Dessa forma, é mais fácil obter descontos e economizar ainda mais.

Essa estratégia é muito interessante para ensinar as crianças a poupar dinheiro para conseguirem seus objetivos de consumo. Faça com que elas acompanhem todo o processo de compra.

Ah, se o objetivo da família for uma viagem, confira o nosso artigo [artigo] Férias com a família: qual a importância do planejamento financeiro? e descubra como realizar esse grande sonho já na próxima temporada de férias.

3. Viva com menos do que realmente ganha

Pare de se enganar comprando itens de valor alto em parcelas, como se estivesse evitando o gasto total do salário. Se você utiliza o cartão de crédito para essas compras, logo você terá que lidar com uma bola de neve.

Para evitar que isso ocorra, estipule um valor de gastos mensal sempre menor do que seus rendimentos. Como estratégia para isso acontecer, separe uma parte do seu dinheiro como se fosse uma dívida, mas única e exclusivamente para algum tipo de poupança ou investimento.

4. Aprenda sobre educação financeira

A melhor forma de usar seu dinheiro de forma inteligente é investindo em educação financeira. Acompanhe os especialistas referências no assunto e siga algumas dicas para conseguir poupar sem sofrimento.

Existem diversos vídeos no YouTube com dicas de educação financeira, bem como sites especializados e livros interessantes sobre o assunto. Mas tenha cuidado com promessas de ganhos irreais. Muitos influenciadores são patrocinados por empresas que têm interesse em alavancar os seus produtos. Por isso, se certifique de que a instrução que você esteja recebendo tenha fundamentos sólidos. Se tiver dúvidas, busque a orientação de um especialista em investimento da Long Life, nós podemos a te ajudar.

No mais, ensine as crianças a economizar desde cedo, mostrando o quanto cada membro da família ganha, quais são os gastos da família e o que cada um pode fazer para economizar.

5. Não se esqueça da aposentadoria

Reserve uma parte dos seus rendimentos mensais para ter uma velhice mais tranquila e feliz. Não dependa exclusivamente do INSS.

Uma ótima alternativa para ter uma velhice tranquila é investir em um plano de previdência privada. Atualmente as seguradoras possuem planos super acessiveis, que podem ser pagos via boleto ou débito em conta.

Pense na sua aposentadoria como um investimento para um futuro ainda melhor.

Sobre esse assunto, vale a pena conferir nosso artigo: [artigo] Veja como se programar para ter estabilidade financeira na terceira idade.

Dica bônus: contrate um seguro de vida e fique tranquilo

A razão mais conhecida para se contratar um seguro de vida é que ele assegura uma indenização aos beneficiários em caso de morte do segurado por causa natural ou acidental. Ou seja, com ele você irá proteger as pessoas que ama e evitar que elas passem por dificuldades financeiras quando você não estiver mais por perto.

Essa é uma questão fundamental, principalmente para as pessoas que têm filhos, irmãos e outros dependentes que ficariam em sérias dificuldades financeiras se não for mais possível contar com sua ajuda.

Por meio de um seguro de vida, é possível que sua família alcance seus objetivos mesmo na sua ausência. Por isso, sua contratação deve fazer parte de qualquer planejamento financeiro familiar.

Outro fator relevante para a contratação de um seguro de vida é que ele também vai ser seu apoio financeiro caso você venha descobrir alguma doença grave ou em caso de invalidez. Estar financeiramente apoiado em momentos de dificuldades como esses faz toda a diferença.

Se você deseja saber mais sobre as formas de investimento que falamos nesse artigo continue a sua leitura com o artigo “Seguro de vida ou Previdência Privada: qual você deve fazer?

Agora se você já está colocando em prática as nossas dicas e quer contratar um Seguro de Vida fale agora mesmo com nossos especialitas .

Férias com a família: qual a importância do planejamento financeiro?

Foi-se o tempo em que bastava colocar o dinheiro embaixo do colchão ou na caderneta de poupança para realizar os seus sonhos como, por exemplo, sair de férias com a família toda. Hoje, é preciso bem mais do que isso, mas sem planejamento financeiro, fica muito mais difícil alcançar os objetivos familiares.

Pensando nas famílias que têm dificuldades em iniciar um planejamento financeiro, elaboramos este artigo com algumas dicas úteis para você começar agora mesmo a pensar nas próximas férias com a família. Confira!

Férias com a família: a importância do planejamento financeiro

Fazer uma viagem de férias com toda a família, independentemente do destino, é sempre uma ótima oportunidade para estreitar laços e aproveitar os momentos de lazer após um ano de muito trabalho e dedicação. No entanto, muita gente se esquece que o planejamento de uma viagem de férias deve começar bem antes da data de embarque.

Sem o planejamento financeiro adequado, é impossível comprar passagens, reservar hospedagem, contratar passeios, providenciar vistos e passaportes, sem precisar usar parte da sua reserva de emergência ou mesmo sem se endividar.

No mais, sempre podem acontecer imprevistos antes ou durante a viagem e você precisará de mais dinheiro.

Por isso, o primeiro passo para uma boa viagem de férias com a família é planejar tudo com bastante antecedência.

Como fazer o planejamento financeiro para as férias

Veja agora como fazer um bom planejamento financeiro para as suas férias com a família em 5 etapas:

1. Escolha o destino

Converse com todos os membros da família para, juntos, escolherem com bastante antecedência o destino das próximas férias.

2. Defina a data das férias

Escolhido o destino, defina qual será o período das férias. Essa é uma decisão muito importante, pois impactará nos custos, já que na baixa temporada os custos serão bem menores do que na alta.

3. Estabeleça uma estimativa financeira

Com as datas e destinos definidos, chega a hora de estabelecer uma estimativa financeira para a viagem de férias. Não se preocupe em definir um valor exato para as férias, faça apenas uma estimativa do quanto pode gastar para fazer a viagem.

4. Faça uma análise financeira

Agora é hora de fazer uma análise financeira das suas possibilidades de realizar, ou não, a viagem que deseja. Neste momento, verifique se você já tem o dinheiro disponível ou se precisará economizar e juntar o valor necessário para as férias.

5. Não deixe de contratar um seguro viagem

Para evitar conflitos e aborrecimentos é muito importante a contratação de um seguro viagem, ele é um importante aliado para possíveis intercorrencias que podem vir a acontecer na sua viagem.
E fique atento se a sua viagem for internacional, alguns paises exigem que você contrate o seguro. Não deixe para ultima hora e já preveja esse custo no seu planejamento.

6. Execute o plano de ação

Na última etapa, é hora de executar o plano de ação, ou seja, comprar as passagens aéreas, adquirir os serviços que serão utilizados na viagem, escolher e reservar os hotéis e definir os gastos diários para despesas extras durante esse período de férias.

Tenha um roteiro bem estabelecido para a sua viagem de férias porque, dessa maneira, fica mais fácil identificar quais serviços e produtos precisarão ser adquiridos e o quanto você precisará reservar para cada dia de viagem.

Se você quer contratar um seguro viagem clique aqui e fale com nossos especialistas, vamos encontrar a melhor opção para a sua viagem ser ainda melhor.

Para não esquecer

O planejamento financeiro precisa se tornar um hábito no dia a dia de todos os familiares. Criamos o [artigo] Planejamento financeiro familiar: 5 dicas para gerar economia que vai te ajudar a se organizar melhor.

Descubra os benefícios e serviços do Seguro Residencial

Conheça as vantagens e os serviços que o Seguro Residencial oferece, além de deixar sua casa mais confortável e segura.

Antes de tomarem uma decisão importante ou realizarem uma compra, muitas pessoas procuram analisar o custo-benefício. Por isso, neste artigo, vamos mostrar a você os benefícios do seguro residencial.  

Quando falamos de seguro residencial, o principal item que o seguro irá proteger é a edificação, o imóvel em si, mas o que poucas pessoas sabem é que embora seja opcional, você também pode incluir os objetos da casa.  

A seguir, vamos esclarecer todas as principais dúvidas sobre o seguro residencial, além de apresentar os benefícios desse seguro que ainda pode oferecer diversos serviços para o dia a dia. Boa leitura!  

Quem pode contratar um Seguro Residencial?  

Vamos começar respondendo uma dúvida recorrente: quem pode contratar o seguro residencial? Por exemplo: “Posso contratar o seguro mesmo morando em uma casa alugada?”. 

O seguro residencial pode ser contratado tanto pelo proprietário legal do imóvel quanto pelo inquilino. Isso é uma excelente notícia para o inquilino, pois ele pode utilizar o seguro como uma forma de proteger o imóvel alugado.  

É importante esclarecer que o proprietário será indenizado, caso os danos tenham ocorrido com a edificação, ou seja, com a estrutura do imóvel. Já em caso de danos com bens e objetos no interior do imóvel, como móveis e eletrodomésticos, quem receberá a indenização será o inquilino.  

A cobertura básica do Seguro Residencial  

A cobertura básica é a cobertura mínima que você deve contratar em uma apólice de seguro residencial. Ela pode variar de seguradora para seguradora, mas em geral cobrirá os seguintes riscos: incêndio, queda de raio e explosão.  

Você pode personalizar sua apólice conforme os riscos do seu imóvel por meio da contratação de coberturas adicionais.  

Coberturas adicionais do Seguro Residencial  

Junto à cobertura básica, no seguro residencial é possível contratar coberturas como:     

É possível ainda encontrar coberturas, como quebra de vidros, espelhos, mármores e granitos, despesas de aluguel, despesas com hospedagem e mudança.  

Mas como você pode observar existem diversas coberturas que podem auxiliar a repor o seu bem em caso de imprevistos, tornando a sua casa mais segura, e garantindo que você será ressarcido para repor o seu bem danificado. Porém fique atento para contratar somente as coberturas necessárias – de acordo com o seu perfil – e com os riscos do seu imóvel.  

Por exemplo: não adianta contratar cobertura de mármore e granito, se você não possui esses itens em casa, ou contratar um seguro de queda de aeronave, se onde você mora não é rota de avião.  

Essa observação é muito importante, pois é comum as pessoas contratarem diversas coberturas que não vão usar e acabarem aumentando o custo do seguro residencial desnecessariamente.  

Serviços de assistência 24 horas para imprevistos do dia a dia  

Imprevistos acontecem e o problema pode se tornar ainda mais grave quando ocorre à noite, nos finais de semana e feriados, pois dificilmente você encontrará um profissional para ajudá-lo e, quando encontrar, normalmente o valor cobrado pelo serviço é alto.   

Com o intuito de estar ao lado do segurado em todos os momentos e com o propósito de trazer mais comodidade, a seguradora disponibiliza alguns serviços importantes, como de: encanador, eletricista, vidraceiro, limpeza, em suma, qualquer reparo emergencial que possa surgir em seu imóvel, você terá o apoio da seguradora. 

Por exemplo: se ocorrer um curto-circuito em sua casa, você pode ligar no telefone 0800 da seguradora e eles enviarão um eletricista para resolver o seu problema, reestabelecer a energia elétrica e solucionar até mesmo problemas com tomadas e instalações. Também funciona dessa maneira com as demais especialidades.  

O melhor é que, além desses serviços de praxe, existem outros mais específicos, como os que veremos a seguir.  

Home Office  

Atualmente muitos profissionais ainda estão trabalhando home office, o que aumenta a necessidade de um seguro residencial, pois muitos levam para casa equipamentos e dispositivos que são, muitas vezes, das empresas.  

Outro benefício interessante é que, em caso de imprevistos, a seguradora disponibiliza alguns serviços, como consultoria para melhoria do equipamento/computador, configuração de e-mail, suporte a software, aplicativos e sistemas operacionais, e até mesmo Smart TV e videogames.  

Pet  

Além de suporte aos equipamentos eletrônicos, seu bichinho de estimação tem benefícios. Algumas seguradoras oferecem um pacote para seus pets que inclui hospedagem, consulta e transporte ao veterinário, informações e até aplicação de vacinas em sua residência. Tudo para oferecer comodidade aos seus segurados.  

Eletrodomésticos  

A nossa vida está ficando cada vez mais digital e, consequentemente, estamos adquirindo novos equipamentos eletrônicos ao longo do tempo. Ciente dessa demanda, a maioria das seguradoras oferece um serviço de proteção para seus equipamentos em caso de problemas com instalação e fiação elétrica.  

Essa proteção é normalmente utilizada para consertos de eletrônicos e eletrodomésticos e pode ajudar muito. Porém, fique atento: algumas seguradoras estipulam coberturas e limites diferenciados entre as linhas branca e marrom.  

Tudo isso torna a sua casa segura, trazendo comodidade e bem-estar a todos os moradores.  

Bônus  

O clube de bônus é uma vantagem incrível, pois é considerado um prêmio ao segurado que não utilizou as garantias durante a vigência da apólice. No decorrer dos anos, você pode somar até 50% de bônus, deixando seu seguro ainda mais barato.  

O bônus pode ficar ainda maior, pois algumas seguradoras ainda disponibilizam um bônus extra para tornar o preço mais acessível, além de dividir em até 12 vezes no cartão de crédito, para incentivar o segurado a renovar a apólice de seguro residencial.   

Além de auxiliá-lo na reposição do seu patrimônio em caso de acidente e imprevistos, o seguro residencial também traz outros benefícios, como os serviços de apoio ao cliente.  

Isso deixa claro para o segurado que o valor investido no seguro residencial retorna para ele tanto nas garantias ao seu patrimônio quanto nos serviços à sua residência e escritório. Sem contar a paz e a tranquilidade que você terá por saber que o seu imóvel e sua família estão protegidos e que você poderá focar em coisas em outras prioridades.  

Quer saber como proteger melhor você, sua família e seus bens? Continue a acompanhar os posts do nosso blog!

Qual a importância do seguro de vida?

Se contratar um seguro de vida não está em seus planos, talvez seja hora de repensar sua decisão, pois o tempo e o imprevisto sobrevêm a todos.

O seguro de vida não é válido somente para o caso de morte, ele é um item fundamental se você quer garantir qualidade de vida e tranquilidade para sua família em caso de imprevistos.

Quer saber mais sobre a importância do seguro de vida? Continue lendo este artigo.

Seguro de vida

Antes de mostrarmos toda a importância do seguro de vida, é importante que você saiba exatamente do que estamos falando.

O seguro de vida tem como objetivo garantir a segurança financeira dos familiares do contratante em caso de morte além de dar a segurança financeira do próprio segurado em casos de invalidez permanente, diagnóstico de doenças graves, de afastamento temporário do trabalho, seja por acidentes ou doenças e outras proteções que podem ser contratadas em seu seguro de vida.

7 motivos que provam que o seguro de vida é importante para você e sua família

1. O seguro de vida garante proteção financeira aos seus dependentes

A razão mais conhecida para se contratar um seguro de vida é que ele garante uma indenização aos beneficiários em caso de morte do segurado por causa natural ou acidental. Ou seja, com ele, você irá proteger as pessoas que ama e evitar que elas passem por dificuldades financeiras quando você não estiver mais por perto.

Essa é uma questão fundamental, principalmente para as pessoas que têm filhos, irmãos e outros dependentes que ficariam em sérias dificuldades financeiras se não for possível contar com sua ajuda no futuro.

Dependendo do tipo de cobertura contratada, seus dependentes poderão contar com serviços fúnebres e outras despezas relacionadas, como traslados, repatriação, etc.

O seguro de vida, oferece também algumas modalidades específicas como: seguro educacional para despesas escolares, seguro prestamista para a quitação de prestações faltantes de um determinado financiamento, como veículos e consórcios, e até mesmo o seguro habitacional para o pagamento de prestações remanescentes de imóveis.

Se você tem dúvidas sobre contratar um seguro de vida ou uma previdência privada, vale a pena conferir o artigo: [artigo] “Seguro de Vida ou Previdência Privada: qual você deve fazer?”.

2. Relação custo x benefício

Esse é um aspecto que muitos desconhecem, porém, além de proteger a família, a contratação de um seguro de vida é uma ótima forma de investimento.

No caso de falecimento, os dependentes podem herdar dívidas, como financiamentos e empréstimos. Porém, com o valor da indenização paga pelo seguro, o dinheiro para arcar com esses compromissos não será problema.

Um detalhe importante: o seguro de vida não entra no inventário em caso de morte do segurado, além de não precisar, necessariamente, ser destinado aos herdeiros naturais. Isso diminui a burocracia em um momento tão delicado para a família do falecido.

3. Isenção de Imposto de Renda

Outro benefício interessante do contrato de seguro de vida é não haver a incidência de tributos sobre o pagamento da indenização.

Ou seja, quando uma indenização é paga, ela deve ser declarada no IR, mas não há incidência de imposto.

4. Garantia de qualidade de vida em caso de invalidez

O seguro de vida também é importante porque garante indenização em caso de invalidez total ou parcial causada por acidente, substituindo sua renda durante um determinado período.

Nesses casos, o acionamento do seguro e o recebimento do valor contratado são feitos de forma rápida e sem burocracia.

5. Reembolso de despesas médico-hospitalares e medicamentos

Um bom seguro de vida garante o reembolso de despesas médico-hospitalares enquanto o segurado estiver sob tratamento médico. Essas despesas estão limitadas ao capital segurado e precisam ser comprovadas no prazo previsto nas condições contratuais.

O seguro de vida pode ainda oferecer descontos e reembolso em medicamentos e a possibilidade de cobrir diárias por internação hospitalar.

Assim, como você pode perceber, o seguro de vida deixou, há muito tempo, de ser um produto voltado apenas para terceiros, atendendo também às necessidades dos próprios contratantes.

Aproveitando que estamos falando sobre despesas médico-hospitalares e o gastos com medicamentos, que tal conferir nosso artigo: “Veja como se programar para ter estabilidade financeira na terceira idade”?

6. Cobertura de despesas fúnebres

Embora este seja um assunto desagradável para algumas pessoas, é preciso pensar nos aspectos práticos. Afinal, em um momento de grande vulnerabilidade, é uma ótima ideia ter a tranquilidade de não precisar se preocupar com a cobertura de despesas fúnebres.

Quem contrata um seguro de vida garante, pelo menos, que seus familiares não tenham que se preocupar com essas questões logísticas e financeiras em caso do seu falecimento.

7. Cobertura de doenças graves

Muitas apólices de seguro garantem o pagamento de indenização caso o segurado seja diagnosticado com alguma doença grave. Isso é uma grande vantagem, já que não é possível prever o futuro. Poder contar com uma “ajuda” nesses momentos é uma grande vantagem. E, claro, vale destacar que muitas pessoas acabam morrendo por consequência do agravamento de doenças que poderiam ser tratadas se a pessoa tivesse se preparado financeiramente ao longo da vida.

Conclusão

Viu só como o seguro de vida é importante e pode trazer inúmeros benefícios para você e sua família?

Contratar um seguro de vida vai muito além de proteger seus familiares em caso de falecimento ou garantir cobertura por invalidez temporária ou permanente. Existe uma infinidade de serviços que podem ser incluídos na apólice para tornar o seguro ainda mais vantajoso para todos.

Agora que você já sabe da importância do seguro de vida, que tal saber como escolher a cobertura ideal da sua apólice? Confira o artigo: “Valor Seguro de Vida – Entenda como definir a cobertura ideal da sua apólice”.

E se vovê quer contratar um seguro de vida agora mesmo fale com um de nossos especialistas, estamos prontos para te atender.

Seguro auto: você sabe como funciona?

A prevenção é a melhor amiga da segurança e garanti-la para o seu veículo pode ser muito mais vantajoso do que depender da própria sorte. Afinal, motoristas que escolhem a alternativa de adquirir o seguro auto evitam assumir sozinhos os prejuízos e as dores de cabeça causados por problemas com acidentes e roubos de carros.

Porém, antes de contratar um seguro automóvel, é importante entender como ele funciona, seus benefícios e as vantagens. Assim, você conseguirá escolher a alternativa ideal para o seu perfil e as suas necessidades.

Pensando nisso, neste artigo apresentaremos algumas dicas, explicações e orientações que poderão ajudar você no momento de contratar o seguro para o seu automóvel. Confira a seguir.

O que é e como funciona o seguro auto?

O seguro de automóvel é um acordo firmado em contrato. Esse acordo é feito pela seguradora e pelo segurado.

Com isso, se objetiva oferecer a segurança do veículo, com opções de cobertura para situações envolvendo acidentes, furto ou roubo do automóvel e ainda serviços de assistência 24 horas para diversas situações.

Dependendo da cobertura contratada, você poderá pagar uma franquia que funciona como uma participação no prejuízo, para poder acionar o seguro e receber a indenização da seguradora.

Seguro auto e proteção veicular são a mesma coisa?

Quando se começa a buscar soluções para ter mais segurança para esse ativo tão importante para a nossa mobilidade e rotina, é comum nos depararmos com esses termos. Mas saiba que eles representam produtos diferentes.

A proteção veicular refere-se a um grupo de pessoas reunidas por intermédio de um administrador ou organizador, geralmente, associações.

Tal grupo faz um rateio de custos caso um membro se envolva em casos de sinistros cobertos. É importante saber que esse tipo de produto não tem regulamentação pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) e que não há fiscalização, como acontece com os seguros automotivos.

Além disso, apesar de, por vezes, a proteção veicular ser comercializada por valores menores, não há uma garantia confiável quanto à estrutura financeira e para o momento de recebimento das indenizações, e também não existe garantia jurídica, tendo em vista não ser um modelo regulamentado pela SUSEP.

Já o seguro auto, como vimos, oferece todas essas garantias por meio de um contrato que assegura todos os direitos e deveres entre as partes por ser um produto fiscalizado e regulamentado pela SUSEP.

O que o seguro auto pode cobrir?

Uma das características comuns aos seguros é a presença da cobertura, isto é, as situações cobertas com ressarcimento garantido por meio de contrato.

No caso do seguro auto, a cobertura, conforme a negociação feita com a seguradora, pode incluir situações envolvendo colisão, capotagem, derrapagem, roubo do veículo ou de partes dele, danos causados por terceiros e/ou por fenômenos naturais, como chuva com alagamento ou inundação, entre outros.

Como é feito o pagamento do seguro auto?

Geralmente, no contrato é definido um valor mensal ou anual, chamado de prêmio, a ser pago para a seguradora. Dependendo do plano que o segurado escolher, há as alternativas de cobertura parcial ou total do veículo.

Como não existe um modelo fixado de valores para os diversos tipos de automóveis, cada seguradora trabalha com a sua própria tabela.

Mas é importante saber que o que mais pode influenciar nos custos do seguro para o automóvel são a idade do veículo, o preço, o custo de peças, o perfil do motorista e os índices de roubo do modelo, por exemplo.

Dessa forma, o prêmio apresenta valores diferentes, o que ajuda a tornar tudo mais justo. Afinal, um motorista que apresenta perfil com menos risco merece ser reconhecido e recompensado por isso.

Por isso, nesse caso, cada ano que o segurado deixa de se envolver em um sinistro deverá representar um bônus em relação ao valor que será apresentado para a renovação do seguro auto.

Há mesmo vantagem em ter um seguro auto?

Saiba que é muito vantajoso ter um seguro de automóvel. Isso irá gerar mais tranquilidade porque se algum incidente ocorrer com o veículo, você não ficará desamparado e nem terá de lidar com um grande prejuízo financeiro.

Além disso, é importante pesquisar as seguradoras e os benefícios específicos dos contratos que elas oferecem, incluindo os serviços presentes na assistência 24 horas, como o de chaveiro, troca de pneus e muitos outros.

O que é e como funciona a franquia de seguro do automóvel?

A franquia se refere a uma pequena parte do valor do conserto do automóvel em que, em caso de acidente, o segurado irá pagar do seu próprio bolso para o conserto do seu veículo.

Essa franquia é cobrada quando há necessidade do conserto de danos parciais do automóvel do segurado. Já em casos de perda total, não há cobrança de franquia.

Os valores variam de acordo com o modelo de cada veículo e de acordo com a estratégia de cada seguradora, independente do perfil do condutor. A franquia têm por objetivo evitar que a seguradora seja acionada a cada pequena avaria que o veículo venha a sofrer. Se a franquia não existisse, as somas das indenizações subiriam significativamente e, em consequência, as taxas dos seguros acompanhariam a alta.

Quando o acidente ocorrer por culpa do segurado e a indenização tiver que ser paga ao terceiro, por exemplo, a seguradora paga o custo total do prejuízo sem cobrar a franquia, se o valor estiver dentro do “limite de indenização” que foi firmado em contrato.

Como funciona o acionamento do seguro auto?

Em caso de sinistro – incluindo colisão e roubo -, o segurado deverá contactar a sua seguradora. Todas as seguradoras oferecem atendimento por meio de uma central 24 horas.

Dependendo do incidente, a seguradora pedirá o Boletim de Ocorrência, que pode ser feito online em até 90 dias, quando não há vítimas. A seguradora dará toda a orientação para que o segurado lide com todos os processos relativos ao sinistro. No entanto, algumas corretoras de seguros, como a Long Life, cuida de todo o processo para seus clientes, trazendo tranquilidade e agilidade para que tudo se resolva o mais breve possível.

Como escolher o seguro auto?

Como vimos, ter um seguro auto é algo bastante vantajoso. No entanto, para obter mais tranquilidade e a certeza de fazer um bom negócio, é fundamental escolher a corretora e a seguradora criteriosamente.

Por isso, é importante pesquisar sobre a credibilidade da empresa no mercado, sua habilitação na SUSEP, quais são as coberturas oferecidas e se essas atendem às suas necessidades, a qualidade do atendimento oferecido, entre outros pontos.

Se você se interessou em obter os benefícios e a tranquilidade do seguro auto, saiba que a Long Life tem esse tipo de produto entre suas soluções.

Saiba como deixar sua casa mais segura e conheça mais sobre o seguro residencial

A casa própria tem muitos significados para diferentes pessoas e, nos últimos meses, passou também a ser utilizada como local de trabalho. Independentemente do que ela represente para você, o seguro residencial é indispensável.

Por mais que todos tomem cuidado, riscos e imprevistos sempre podem acontecer. Todos nós estamos sujeitos a isso e, quando possuímos um seguro residencial, tudo fica mais fácil.

O roubo talvez seja o maior risco, mas não é o único a que o seu imóvel está sujeito. Veja algumas dicas de como deixar seu imóvel mais seguro.

Dificulte o acesso

Fiquem atentos aos galhos de árvores e espaços no portão que possam servir como uma escada para pular o muro ou o portão, assim como ferramentas ou escada no quintal. Tudo isso facilita o acesso à sua residência.

Outro ponto muito importante é a questão das aberturas que, normalmente, os imóveis possuem, por exemplo, no telhado, no sistemas de exaustão e até mesmo no ar-condicionado.

Iluminação

A iluminação sempre foi uma ferramenta importante para evitar que sua casa seja invadida, por isso sempre mantenha todas as entradas da casa bem iluminadas. A iluminação interna é importante, pois passa a impressão que a residência não está vazia. Porém, tome cuidado, porque, quando a iluminação fica ligada o dia inteiro, indica que o imóvel está vazio.

Atualmente, já existem tecnologias, como as lâmpadas inteligentes, que podem ser controladas pelos moradores pela internet independentemente de onde estiverem. Os timers ou sensores fotoelétricos podem ser opções interessantes que ligam e desligam quando o dia escurece ou amanhece.

Cão de guarda

O bom e velho cão de guarda pode ser um auxílio importante. Quanto maior ele for, melhor, pois certamente desestimulará uma pessoa a invadir o imóvel. Treine o seu cão de guarda para não comer alimentos fora do seu prato ou até mesmo comida de estranhos e, por fim, evite que estranhos tenham acesso ao seu cão de guarda, pois invasores evitam cães desconhecidos.

Portas e janelas

Portas e janelas merecem uma atenção especial, pois são a maneira mais fácil de adentrar as residências. Por isso, é importante que fechaduras de qualidade sejam instaladas. A porta dos fundos e das laterais também merecem uma atenção especial. Para portas e janelas deslizantes, coloque cabos de madeira para evitar que elas sejam abertas.

Cercas e portões

Além de cercas e/ou muros altos, a cerca elétrica ou arame de proteção pode ajudar a dificultar o acesso à sua residência. Além disso, sempre verifique se os portões estão trancados.

Uma ferramenta muito importante é o portão eletrônico para carros, pois ele evita que a pessoa desça do veículo para abrir ou fechar o portão.

Antes de sair de casa, uma medida recomendável é verificar através das câmeras se há alguma movimentação estranha na rua.

Informações sobre você

Fiquem atentos às suas publicações nas redes sociais. Atualmente, os bandidos usam essa ferramenta para identificação e monitoramento de seus alvos.

Foi viajar? Se possível, interrompa a entrega de revistas, jornais e correspondências, ou peça para um amigo ou vizinho recolhê-los para não deixar a casa com aspecto de vazia.

Uma placa ou adesivo de uma empresa de segurança na parte externa da casa pode ajudar a inibir a tentativa de invasão da casa, pois os criminosos terão medo de serem filmados ou apanhados com facilidade.

Incêndio

Compre botijões somente de fornecedores conhecidos que sigam todos os controles de segurança e fique atento à validade da mangueira e do registro de gás, pois eles têm validade. Verifique a mangueira periodicamente e substitua por uma nova quando necessário. Além de ser seguro, isso pode trazer economia.

Se você usa um aquecedor a gás em sua residência, é sempre recomendável que ele fique em um espaço isolado e bem ventilado.

Se estiver na cozinha, jamais deixe as bocas do fogão acesas quando não estiverem sendo usadas e nunca coloque papel alumínio ou objetos de metal no micro-ondas, pois é muito perigoso.

Se você ou alguém da sua família for fumante, fique atento às bitucas de cigarro. Elas não podem, em hipótese alguma, serem jogadas diretamente no lixo. Tenha certeza de que estão totalmente apagadas.

Antes de utilizar um equipamento, verifique se a voltagem do seu aparelho é compatível com a da tomada. Se não for, além de queimar o equipamento, pode gerar curtos-circuitos e princípio de incêndio. Jamais deixe eletrônicos, como celular, tablet ou notebook, carregando sobre a cama.

Instalação elétrica

Costumamos dizer que é um risco oculto, pois nunca sabemos o estado da instalação elétrica. Segundo o último levantamento da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), dos 1.502 acidentes de origem elétrica no Brasil, 583 resultaram-se em incêndios.

Isso mostra que, muitas vezes, tomar cuidado não é o suficiente para proteger o seu lar ou seu escritório. Por isso, o seguro residencial é indispensável para a casa onde você mora, para a casa que você aluga ou para a casa onde se localiza o seu escritório.

Seguro Residencial

Além de proteger seu imóvel e seus pertences, o seguro residencial tem alguns benefícios e serviços que são de extrema utilidade para você.

Os serviços podem variar de uma seguradora para a outra, mas é muito comum encontrarmos serviços de encanador, eletricista, chaveiro, conserto de eletrodomésticos, troca de telhas, limpeza de caixa d’água, entre outros. Tudo isso sem um custo adicional.

Como você já percebeu, os benefícios são inúmeros, mas, sem dúvida, o maior deles é a paz e a tranquilidade que você vai sentir em saber que o seu maior patrimônio está protegido.

Agora que você já entendeu como deixar seu imóvel mais seguro, clique aqui e baixe o nosso infográfico e conheça os principais seguros e soluções oferecidos pela Long Life.

Saiba mais sobre as ofertas e o atendimento Long Life aos clientes

As corretoras e seguradoras têm vital importância para o setor de seguros, já que desempenham funções importantes junto aos clientes. E contar com o atendimento da Long Life Corretora de Seguros fará toda a diferença. Isso porque, como as tarefas são complementares, saber um pouco mais sobre o atendimento da corretora é útil para você poder adquirir o seguro que melhor atenda à sua realidade.

Por isso, leia o nosso artigo e saiba mais sobre a importância da seguradora e do corretor de seguros na prevenção de riscos, e também sobre o atendimento da empresa.

A seguradora

A seguradora é uma empresa financeira controlada pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), órgão do governo que fiscaliza e audita as seguradoras e corretoras de seguros para trazer mais liquidez e segurança para os segurados.

Além disso, a seguradora tem sido muito utilizada para que o cliente consiga transferir alguns riscos que ele não esteja disposto a assumir, ou riscos que você ainda não tenha experiência e conhecimento para administrar ou mesmo extinguir.

As seguradoras têm cumprido esse importante papel na economia do país, protegendo a população de riscos econômicos e financeiros, para que todos consigam viver com saúde e dignidade.

O papel do corretor de seguros

Muitas pessoas ainda acreditam que o corretor de seguros é apenas um vendedor de seguros, mas isso não é verdade, porque, para ser um corretor de seguros, ele precisa ter alto conhecimento técnico, passar por um rigoroso processo de estudos, provas e de avaliações, até ser registrado como corretor de seguros pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP).

O papel do corretor de seguros é estar ao lado do seu cliente prestando toda a assessoria necessária, orientando e esclarecendo, para que os seguros contratos sejam adequados ao perfil e aos riscos de cada um dos seus clientes. Além disso, é fundamental que o corretor tenha uma equipe de profissionais bem preparada e com alto conhecimento técnico ao seu lado, para que consiga dar a atenção que cada cliente merece.

O papel do corretor também é muito importante na hora que ocorre o sinistro, pois ele fará o assessoramento de todo o processo de indenização e será um elo na comunicação entre cliente e seguradora. Agora você entende por que seguro deve ser contratado somente com corretor de seguros que possua uma ótima estrutura de atendimento?

É justamente nessas questões importantes que o atendimento Long Life se diferencia das demais corretoras de seguros.

Mas não se esqueça: para a sua segurança, o seguro só pode ser feito através de um corretor de seguros que tenha registro junto à SUSEP.

É importante ter opções

Vamos combinar que escolher uma corretora de seguros não é uma missão muito fácil, pois as opções e as particularidades são muitas.

Porém, antes de entrar nessa questão (critérios de avaliação), o cliente precisa ter ciência de que o corretor de seguros precisa ser confiável, precisa estar sempre próximo e, de preferência, precisa conheçer muito bem a rotina do cliente. Assim, ele poderá entender o perfil dele e auxiliá-lo na identificação dos riscos. Esse é justamente um dos pontos fortes do atendimento Long Life.

Por isso, afinidade e cumplicidade devem ser buscadas na relação entre cliente e corretora de seguros.

Além de um excelente conhecimento técnico e especializado, uma empresa sólida, com mais de 10 anos no mercado e presente nas principais regiões metropolitanas do estado de São Paulo, o atendimento Long Life é diferenciado e tem como objetivo principal se fazer presente no dia a dia do seu cliente, prestando consultoria técnica e trazendo mais segurança e confiança nessa relação comercial.

Não é raro ouvirmos o cliente reclamar que o corretor dele só se lembra que ele existe quando a renovação do seguro está se aproximando.

Afinal de contas, o que você deve considerar na hora de optar por uma corretora de seguros?

Como escolher uma corretora de seguros

Uma corretora de seguros normalmente possui profissionais especializados em diferentes segmentos, aumentando assim a capacidade de atender com qualidade um amplo leque de produtos. Dessa forma, proporciona soluções inteligentes e ideais para seus clientes.

Além disso, conheça a missão, visão e os valores da empresa, e você vai entender qual é o seu objetivo e onde ela quer chegar. Resumindo, você vai entender qual é o DNA da empresa.

Em seguida, faça o seu primeiro contato, converse com especialistas da corretora, apresente suas necessidades, as suas demandas, ouça as sugestões e soluções propostas por eles e veja se vão de encontro com as suas expectativas. Essa conversa é muito importante.

Atendimento Long Life

A Long Life possui uma estrutura completa com especialistas em diversos ramos do seguro e atendimento de acordo com o perfil do cliente, seja ele pessoa física, jurídica e até mesmo PME.

Na prática, tudo isso representa um grande diferencial no atendimento ao cliente, desde o momento que ele faz o primeiro contato, passando pela análise de identificação dos riscos, pela contratação da apólice ideal e pelo momento em que algum imprevisto aconteça e resulte num sinistro.

Não perca mais tempo, faça uma experiência! Entre em contato com os especialistas da Long Life. Você sentirá toda a diferença e ficará tranquilo para cuidar da sua família e de seus projetos.

Para saber mais, leia sobre nossos seguros em um artigo específico que produzimos para o blog!

Seguro Auto e Proteção Veicular: Entenda as diferenças

A cultura do brasileiro é de um povo trabalhador e cumpridor do seus deveres. Por isso, estamos sempre atentos aos controles de gastos. Muitas vezes, o seguro é questionado e algumas pessoas procuram alternativas mais baratas para proteger seu patrimônio.

É justamente esse o tema do nosso artigo. Você já ouviu falar de proteção veicular? Nós vamos te mostrar que proteção veicular não tem nada a ver com seguro auto.

Constantemente nos perguntamos se o seguro auto é realmente imprescindível. Para ajudá-lo nessa avaliação, acompanhe as dicas a seguir.

Exposição

Se, por ventura, você tiver a infelicidade de ter seu carro roubado ou furtado hoje, como seria a sua rotina sem ele? Você teria condições de ir a uma loja para comprar outro no dia seguinte? Muitas pessoas levam em consideração não só o prejuízo financeiro como também os transtornos que irão passar. Por isso, as pessoas estão cada vez mais conscientes da importância do seguro auto. Quer outro exemplo?

E se você estiver dirigindo e atropelar alguém? Por mais cuidadoso que você seja quando está ao volante, é um risco que todos os motoristas correm. Você terá dinheiro para arcar com todas as despesas hospitalares, medicamentos e tratamentos de terceiros?

Seguro Auto x Proteção Veicular

O seguro auto é algo imprescindível para os proprietários de automóveis, mas muitas pessoas consideram o resultado imediato e analisam apenas o dinheiro economizado e não analisam os riscos que estão assumindo.

Alguns desses riscos podem ser ainda maiores do que ficar sem seguro auto – se, momentaneamente, você não puder pagar.

Você sabe a diferença entre seguro e proteção veicular?

A proteção veicular é um grupo de pessoas que se reúnem por meio de um administrador ou organizador. Esse grupo se compromete a participar de um rateio caso ocorra algum sinistro com o carro de um desses integrantes.

Análise

Agora que você já entendeu como funciona o mecanismo da proteção veicular, vamos te fazer alguns questionamentos e gostaríamos que você analisasse alguns pontos.

Vamos imaginar que uma pessoa tenha optado por uma proteção veicular.

O fato é que, a pessoa que contrata uma proteção veicular sem fazer essa análise inicial, terá muitas incertezas. E se você reparar bem, essa pessoa vai deixar de ser segurado para ser segurador, pois terá sempre que participar no rateio de futuras indenizações.

Seguro Auto

A primeira diferença do Seguro Auto para a proteção veicular é que, quando falamos seguro, estamos tratando de uma atividade legal e regulamentada pelo governo federal. A Superintendência dos Seguros Privados (SUSEP) é uma autarquia federal que, além de regulamentar, fiscaliza o mercado a fim de garantir os direitos dos segurados.

A SUSEP fiscaliza não somente as seguradoras, mas o mercado todo, ou seja, inclusive as corretoras e resseguradoras também. Além disso, toda seguradora é uma empresa S/A, de capital aberto. Por isso, passa por uma auditoria independente a cada seis meses, antes de publicar o balanço nos principais jornais do país. Além disso, a SUSEP exige que cada seguradora tenha uma reserva técnica, de acordo com os riscos que ela assume para que não ocorra nenhum desequilíbrio no sistema.

Quando um sinistro é comunicado à seguradora, automaticamente é criada uma reserva de capital para um possível pagamento. Esse procedimento visa garantir que a seguradora tenha recursos para a indenização após o término do processo de regulação do sinistro.

Com relação ao prêmio (valor que você paga de seguro), ele pode variar de acordo com o perfil do segurado, do modelo e valor do veículo e região de circulação. Isso é justo, pois os segurados que oferecem menores riscos de perda precisam ser recompensados com um custo menor de seguro. O mesmo vale para o tipo de veículo e região de circulação, quanto menor o risco, menos o prêmio. Não existe uma taxa fixa, o orçamento é elaborado por uma equipe de atuários e estatísticos que, com base em todos os dados coletados por muitos anos de estudo, com previsões futuras e muita tecnologia, buscam o equilíbrio para que as taxas sejam justas e também competitivas no mercado, mas que possam suprir as necessidades de pagamento de indenizações.

A cada ano que você passa sem sinistro, você acumula bônus para ter descontos em sua próxima renovação. Esses bônus podem ser transferidos de uma seguradora para outra, caso o segurado tenha interesse na mudança do seu seguro.

Corretor de seguros

O corretor de seguros é um profissional especializado e certificado pela SUSEP que poderá te ajudar a encontrar a melhor opção de seguro para o seu veículo e proteger você e sua família de riscos. Seguro auto deve ser feito somente através de uma corretora de seguros.

Enfim, agora que você entendeu a diferença entre essas duas modalidades, não corra riscos. Não permita que você tenha uma falsa sensação de que está seguro. Existem certas economias que não compensam, pois os prejuízos e transtornos podem ser incalculáveis.

Por isso, conte com os especialistas da Long Life. Eles poderão ajudá-lo a encontrar as melhores coberturas com as menores taxas para que você e sua família estejam, de fato, protegidos, e os valores estejam dentro do seu orçamento familiar. Para auxiliar nessa busca, os profissionais utilizam um sistema de multicálculo que busca, em poucos minutos, o preço em 11 seguradoras, assim você terá a melhor opção para o seu veículo.

Acompanhe as nossas redes sociais e conheça nossos trabalhos e também nossos especialistas. Você terá a oportunidade de conhecer diversos ramos do seguro e ver como essas coberturas podem ser importantes para você e sua família.

Conheça melhor os seguros que irão proteger a sua PME

Adquirir um patrimônio nunca foi coisa fácil, mas vamos combinar que, de uns tempos para cá, esse objetivo parece que está cada vez mais difícil. Imagine se, por algum imprevisto, você tiver que repor esse bem? É por isso que, hoje, vamos falar sobre os seguros disponíveis para proteger as pequenas e médias empresas (PMEs).

Os diversos riscos que as empresas estão sujeitas preocupam muito os donos de empresas de diversos portes. Por isso, os pequenos e médios empresários encontram nas apólices de seguros uma ferramenta importante para a transferência de riscos e, dessa forma, podem proteger seu patrimônio.

Com uma ou mais apólices de seguros criteriosamente elaboradas por um profissional especializado – de acordo com as necessidades da empresa -, as incertezas e os riscos deixam de ser sua maior preocupação, porque sua empresa estará protegida dos principais riscos para seu patrimônio e para sua operação. Entenda como isso funciona.

Seguros para PMEs

Durante os últimos anos, o Brasil vem registrando um aumento considerável de pequenas e médias empresas (PMEs), tendo em vista o estímulo ao empreendedorismo e a vontade de continuar a exercer um negócio próprio.

Diante desse cenário, o setor de seguros possui algumas opções de seguros que atendem as diferentes necessidades dos empreendedores.

Na hora de contratar um seguro, é fundamental ter o apoio de uma corretora de seguros que tenha experiência e conhecimento no ramo específico, de acordo com o que você precisa .

A Long Life, por exemplo, é uma corretora de seguros especializada em atender PMEs e tem profissionais habilitados e especializados para atender diversos segmentos diferentes. Ela auxilia tanto na identificação dos riscos quanto na contratação da sua apólice de seguro, propriamente dita. Além disso, está presente durante todo o período vigência da apólice, cuidando de tudo o que for necessário de acordo com cada segmento.

Seguros mais procurados pelas PMEs

Quando falamos de seguros, é importante lembrar que, em cada um, existem as coberturas básicas e obrigatórias, e também as adicionais que, embora sejam facultativas, podem ajudar a proteger a sua empresa de alguns riscos específicos.

Veja quais são os principais ramos disponíveis para as PMEs e entenda como as coberturas podem te ajudar na gestão do seu negócio.

Imóveis

Os seguros patrimoniais para imóveis, sejam eles residenciais ou comerciais, são sempre muito importantes.

A cobertura básica dos seguros patrimoniais é composta por proteção contra incêndio, queda de raio e explosão. Ou seja, se, por acaso, a fiação do seu imóvel sofrer um curto-circuito e seu imóvel pegar fogo, seu patrimônio estará amparado pelas coberturas básicas do seguro.

No entanto, além da cobertura básica, diversas coberturas adicionais podem ser incluídas nesta modalidade, como cobertura para o conteúdo do imóvel, danos elétricos, roubo, furto e outras. Em caso de sinistro, esse conjunto de seguros cobrirá tanto a estrutura do imóvel quanto os bens que estão dentro dele e que tenham sido danificados ou extraídos por roubo ou furto.

Equipamentos portáteis

Atualmente, estamos cada vez mais conectados. A maior disponibilidade de sinal Wi-Fi e de dispositivos móveis, como smartphones, tablets, câmeras, notebooks e netbooks, é o que mais contribui para tal cenário.

Por isso, o seguro de equipamentos portáteis ganha mais espaço na hora de pensar nos riscos.

Esse seguro visa cobrir prejuízos em decorrência de roubos e furtos qualificados, podendo ainda incluir uma cobertura adicional de danos elétricos, caso você tenha algum problema enquanto o equipamento está carregando a bateria, por exemplo.

Seguro de Carga/Transportes

Esse seguro é muito importante, pois ele tem como objetivo assegurar a carga durante todo o transporte ou trajeto de um ponto A até o ponto B, oferecendo, inclusive, cobertura para as operações de carga, descarga, transferência e transbordo e também por um período em que a mercadoria estiver no armazém de embarque e desembarque.

Quando falamos de seguro de transportes, é importante você saber que existem dois públicos: um voltado para embarcadores (comprador/destinatário); e o de responsabilidade civil (RCTRC), voltado para os transportadores. Porém os dois têm o mesmo objetivo: proteger a carga de acidentes, roubos ou outras responsabilidades que possam ocorrer em consequência de um acidente, como risco ambiental e limpeza de rodovia.

Responsabilidade Civil

Como os consumidores estão cada vez mais atentos aos seus direitos, as ações judiciais contra os prestadores de serviços estão aumentando. Em consequência, muitas empresas estão procurando contratar uma apólice de Responsabilidade civil em favor de seus clientes.

Hoje, no mundo dos negócios, é muito comum ouvir as expressões E&O e D&O. Você sabe o que essas siglas significam?

E&O é um seguro de responsabilidade civil (RC) profissional para os profissionais liberais que visa cobrir danos contra terceiros, em caso de erros e omissões.

Dessa forma, diversas empresas de prestação de serviços estão contratando essa apólice para dar uma proteção maior aos seus clientes e também valorizar o seu trabalho.

O seguro D&O também é um seguro de responsabilidade civil (RC) que, normalmente, é contratado por diretores estatutários, conselheiros e administradores.

Ele é acionado caso esses profissionais tomem alguma ação que cause algum tipo de prejuízo para a empresa que trabalham. O seguro vai ressarcir a empresa prejudicada.

Vida e família

A nossa família, seguramente, é o nosso maior patrimônio e nossa maior preocupação. Por isso, sempre temos a preocupação de protegê-los.

Muitas pequenas e médias empresas (PMEs) estão contratando os seguros e planos de saúde, bem como o seguro de vida para proteger seus colaboradores.

Isso tem se convertido em excelentes resultados para as empresas, pois deixam os funcionários mais tranquilos e focados no trabalho, aumentando a sua produtividade e a retenção dos bons profissionais que trabalham nessas empresas.

A previdência privada é outra ferramenta muito importante que pode auxiliar na gestão da sua empresa, auxiliando na retenção de talentos, por ajudar os colaboradores a planejar e proteger sua saúde financeira. Existem dois tipos de previdência privada: o VGBL e o PGBL, e ambos têm o mesmo objetivo: proteger o futuro financeiro das famílias.

O seguro prestamista é fundamental para empresas que dão créditos a seus clientes. Vamos imaginar que sua empresa faça vendas com financiamento próprio, como é comum no segmento de imóveis por exemplo. Quem te garante que você receberá o saldo restante caso seu cliente venha a falecer?

Se você fizer o seguro prestamista, e seu cliente falecer, a seguradora vai quitar esse saldo restante, para que você não tenha prejuízos e aborrecimentos. Com relação ao custo, sua empresa poderá repassá-lo ao cliente, ou seja, a sua empresa ficará protegida sem aumentar os seus custos.

Veículos

Todo mundo sabe que o carro é a grande paixão nacional. Ele se torna ainda mais querido quando se torna imprescindível em nossa rotina diária, seja por trabalho ou lazer.

Ao contrário do que muita gente pensa, o seguro do veículo não fica restrito apenas ao risco do prejuízo material (casco). Existem riscos bem maiores que esse, que são a sua responsabilidade junto a terceiros, caso você seja responsável por algum acidente de trânsito.

Em suma, as cobertas de responsabilidade civil (RC) são até mais importantes que a de casco já que, se você for o responsável pelo acidente, você terá que reparar tanto o seu próprio carro quanto o prejuízo de terceiros, seja ele material ou pessoal.

É aí que mora o perigo: após um acidente ou imprevisto com seu carro, é impossível você saber qual é o valor que você terá que pagar com despesas de tratamentos médicos e hospitalares.

Muitas pequenas e médias empresas têm contratado o seguro dos seus veículos incluindo todos em um seguro de frota, que pode incluir também os veículos pessoais dos sócios. Além de conseguir uma redução de custo, a gestão do seguro se torna mais simples, desde que administrado por um corretor capacitado para isso.

Agora que você já aprendeu sobre diferentes ramos do seguro, certamente percebeu que o seguro é indispensável para a sua PME independentemente do seu ramo de atividade, seja comércio, indústria ou prestação de serviços.

Mais que isso, você também aprendeu que seguro é um investimento que vale a pena, pois trará segurança financeira para o seu negócio e a proteção necessária para seu patrimônio.

Quer saber mais sobre seguro e como ele pode proteger a sua empresa e sua operação? Acompanhe nossos conteúdos sobre seguro PME.